As veias dilatadas e tortuosas que perderam sua função, as famosas varizes, causam danos estéticos, mas também circulatórios e por isso devem ser avaliadas por médicos angiologistas.

Quando o tratamento não é realizado, o organismo pode ser colocado em risco e ser afetado por alguma das principais complicações das varizes, como:

Tromboflebites, úlceras de perna, hiperpigmentações, eczema venoso, varicorragia (sangramento pela variz), fibrose, dermatite ocre, infecções e quadro de dor, edema nas pernas e embolia pulmonar.

O tratamento adequado para cada tipo de varizes deve ser indicado pelo cirurgião vascular, o diagnóstico e a avaliação determinarão o melhor procedimento para cada caso.

As dores nas pernas são reclamações recorrentes não apenas de quem trabalha muito tempo sentado, como também de quem fica muitas horas em pé.

As dores nas pernas podem ser reflexo de uma série de complicações. Dentre elas:

-Flebite – caracterizada como uma inflamação de uma veia da perna;

-Consequência de dor ciática - causada pela inflamação do nervo ciático ou por compressão de alguma raiz nervosa do complexo lombar;

-Veias varicosas – são veias superficiais dilatadas;

-Trombose arterial por aterosclerose – artéria ocluída, porque ocorre depósito de gordura/coágulo, reduzindo o fluxo sanguíneo;

-Trombose venosa profunda – caracteriza-se pela formação de coágulos de sangue (trombos) nas veias profundas;

-Hérnia de disco lombar – dor intensa na parte da perna onde a raiz nervosa é afetada;

-Insuficiência Venosa Crônica (IVC) – complicação de varizes a longo prazo.

Portanto, é fundamental a avaliação do cirurgião vascular/angiologista para excluir as principais causas vasculares e iniciar o tratamento adequado

Varizes são veias dilatadas e deformadas, de coloração púrpuro-azulada, que surgem ao longo das pernas e podem causar alguns incômodos. Os principais sintomas são:

Dor, ardor, ou sensação de peso nas pernas, que podem ser mais acentuados no fim do dia;

Leve inchaço, geralmente envolvendo apenas os pés e tornozelos;

Coceira na pele sobre a veia varicosa;

Acúmulo de líquido e inchaço na perna;

Inchaço e panturrilha com dor significativa após ficar sentado ou em pé por muito tempo;

Mudanças na cor da pele ao redor dos tornozelos e pernas;

Pele seca e esticada.

Alguns cuidados, como fazer exercícios, elevar as pernas ou usar meias de compressão, podem ajudar a aliviar a dor das varizes e impedir complicações. Mas, se os sintomas não passarem após a aplicação dessas medidas ou a preocupação com relação às complicações das varizes, busque ajuda médica.

O corpo humano possui dois importantes vasos que fazem a circulação do sangue.

As artérias levam o sangue (com oxigênio e nutrientes) do coração para os tecidos do corpo e as paredes das artérias são mais elásticas, por esse motivo ajudam a controlar a pressão sanguínea.

As veias levam o sangue com gás carbônico de volta ao coração, por meio de válvulas que fazem o retorno do sangue ao coração.

Quando essas válvulas não conseguem escoar o sangue em direção ao coração, acontece o acúmulo de sangue, a pressão venosa aumenta e desencadeia o aparecimento de varizes (veias dilatadas e tortuosas).

Algumas atitudes que podem prevenir ou aliviar as varizes:

- Não ficar em pé por muito tempo

- Manter as pernas em movimento

- Evitar ficar sentado por muito tempo, como em viagens longas

- Evitar o sobrepeso

Cuide da sua saúde, faça um check-up vascular, procure um médico angiologista/cirurgião vascular.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 30% da população mundial têm varizes, sendo 70% mulheres e 30% homens.

Um dos principais fatores que aumentam o risco do surgimento de varizes é a predisposição genética. Se alguém na sua família (pais, tios e avós) sofre com varizes, você tem uma chance maior de desenvolver esse problema.

Esse problema é mais frequente entre as mulheres, pois alguns dos hormônios, como a progesterona, dilatam as veias, diminuindo a força das paredes dos vasos e dificultando o funcionamento das válvulas responsáveis pelo retorno venoso.

A idade é outro fator. A dilatação das veias começa a partir dos 30 anos, quando o colágeno das paredes das veias começa a diminuir, deixando-as mais frágeis.

A obesidade aumenta o volume do abdômen, prejudicando o bom funcionamento das veias.

Nosso corpo tem três mecanismos de retorno venoso, as válvulas das veias que levam o sangue das pernas de volta ao coração, a bomba plantar – porque, toda vez que pisamos no chão, estamos provocando o bombeamento do sangue dos pés em direção ao coração – e a bomba da panturrilha – quando caminhamos, a contração muscular empurra o sangue para cima. Sendo assim, quando estamos por muito tempo na mesma posição ou não praticamos exercícios, nosso corpo deixa de contar com dois dos três mecanismos que realizam o retorno venoso.

Previna doenças vasculares, agende uma consulta com um médico angiologista ou cirurgião vascular.

Vene Angiologia e Laser | Todos os direitos Reservados
crossmenuchevron-down